Bucha plástica ou química: qual a diferença?

Gostou do post? Compartilhe em suas redes sociais!

De pequenos reparos a grandes construções, a bucha é uma peça fundamental para a fixação de móveis, instalações e decorações. Apesar de parecer um item fácil de se escolher, é necessário pensar na função que a bucha vai desempenhar, para assim escolher o modelo e material ideal.

Dentre as buchas mais comuns, temos as plásticas e as químicas. E para começar a entender qual a bucha ideal, precisamos identificar primeiramente o peso do elemento a ser fixado e também qual é o material, como alvenaria, drywall, tijolo, concreto, gesso, entre outros.

Com esses dados em mãos vai ficar fácil você identificar a partir das principais funcionalidade de cada uma delas qual é a ideal para o seu projeto.

Conhecendo as diferenças 

Buchas químicas

Vamos começar te explicando como é a bucha química, essa imagem acima mostra uma exatamente como ela é, uma resina, que serve para ser colocada direto no buraco de fixação com a ajuda de uma pistola aplicadora. 

E a curiosidade é que a bucha química tem esse nome justamente por ter sua fixação a partir de uma reação química, antes de ser inserido o parafuso. 

Para uma fixação resistência, com flexibilidade para materiais como cimento, pedra, rocha, tijolos e cimentos, essa com certeza é a bucha ideal. 

Buchas plásticas

Já as buchas plásticas com acabamento em nylon, aço ou polietileno são as mais procuradas em lojas de ferragens e construção.

Elas podem ser encontradas em alguns tipos e formatos diferentes, as mais usadas são a bucha S, FU e as de expansão.

Podem ser utilizadas para fixação de armários, prateleiras, quadros acessórios de banheiro, etc.

Geralmente são utilizadas em conjunto com parafuso de rosca madeira ou auto-atarraxante. Ideal para uso em paredes compactas de tijolo, cimento e concreto.

Uso das buchas

A primeira parte já está feita, você já sabe a diferença entre os dois tipos de buchas, química e plástica. A segunda parte é onde te mostramos quais são suas usabilidades. 

E já te adiantamos, as duas versões são muito fáceis de manusear, tanto que se você não for um profissional da construção ou prestador de serviços conseguirá mesmo assim dar vida aos seus projetos. 

Porém devemos alertá-lo que é necessário fazer uso de equipamentos de proteção individual, como luvas, óculos, entre outros. 

Bucha plástica

Antes de mais nada, é necessário equiparar o diâmetro da bucha com o diâmetro da broca da sua furadeira, em outras palavras, você precisa ver, se a bucha é de 2mm a broca deve ser também de 2mm e assim por diante. 

Logo após você só precisará realizar o furo com a ajuda da furadeira simples, colocando a bucha com toda atenção para checar que ela está bem firme! 

Bucha química

Para a bucha química o processo é um pouquinho diferente, primeiro você vai furar no local da fixação, na sequência limpar bem os resíduos, com uma escova, cotonete ou um soprador. O passo 3 é colocar a bucha química.

Com o material já no lugar da fixação, chegou a hora de inserir o parafuso. O tempo de endurecimento varia dependendo do fabricante, verifique isso na embalagem. 

Esperamos que com essas dicas os seus projetos pessoais ou profissionais estejam mais seguros com o uso da bucha correta!

Posts Relacionados

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *